sexta-feira, 2 de junho de 2017

5 Chiang Mai - Dia 03/05/2017 - Visita ao Elephant Nature Park - Um dia de sonho.

Dia 03/05/2017 – Quarta-feira.

Tomamos café no hotel, que como disse tem o café americano para atender aos turistas, mas também tem o café oriental, com comida de verdade.

Foto by Déa


Dia de colocar o pé na estrada (1 hora) pra conhecer o Elephant Nature Park, um santuário para elefantes, búfalos, cachorros e gatos, resgatados dos maus tratos, do descaso, dos circos, do tsunami, dos que ainda usam os animais para seu próprio sustento, para proteger daqueles que ainda ignoram e usam a força física e intelectual para menosprezar outras criaturas.

No horário combinado 8 horas, estávamos todos na recepção do hotel, quando a BeeBee nossa guia chegou para nos levar.

Na van um vídeo com o criador do Elephant Nature Park, já corta nosso coração. A maldade humana não tem limite, nem freio, e sentimos vergonha da nossa raça intelectual.

Na parada para comprar uma água, alguma coisinha para comer, mais produtos da Cathy Dolls a venda, como resistir (?)

Ao chegar cada vez mais perto do Elephant Nature Park, a natureza vai se mostrando grandiosa, mas nosso coração e nossos olhos não estão preparados ainda para tanta beleza.

E quando a gente chega, chegam também os astros desse lugar, com tratadores ao seu lado, dois elefantes se aproximam para ganhar comidinha na boca, dada por nós, é uma correria, queremos alimentar os famintos elefantes o mais rápido possível e eles comem depressa e já ganham nosso coração, a gente quer tocar, acariciar, ser amigos.

Foto by Déa

São melancias, abóboras, abobrinha, e outras delícias devoradas inteiras por esses adoráveis paquidermes.

Foto by alguém do nosso grupo (?)


Foto by Dione (?)

Foto by Dione (?)

Foto by Bruna


Depois demos uma volta pela propriedade imensa, e nosso primeiro contato físico, um carinho ainda meio tímido, temeroso, apesar de gigantes, são frágeis, trazem em sua memória de elefantes (por conta de terem dois espaços em seus cérebros de armazenamento) os maus tratos, a dor, o castigo.

Foto by Dione (?)

Foto by Dione (?)

Foto by Bee Bee essa moça aí de baixo

Foto by Bruna
Foto/Selfie by Déa.
Seus olhos são dóceis, mas ao mesmo tempo sofridos, ressabidos, desconfiados, eu já vi muito maldade ele diz.

Foto by Déa

Sua pele é macia e cheia de pelo, não devemos tocar sua tromba, principalmente quando comem, não devemos ficar na frente deles quando eles querem passar, quando levantam as orelhas estão felizes, quando as abanam não estão curtindo muito e como disse nossa guia, saia correndo.
Não devemos ficar entre dois elefantes (com o risco de sermos esmagados...brincadeira).

Cada um, assim como nós tem sua particularidade, uns são mais sociáveis, dóceis, outros não querem papo, carinho, nem comidinha na boca, mas apesar do mal que fazemos, o bem sempre vence, e sempre, sempre mesmo encontraremos a bondade pelo caminho, aqueles que apesar de machucados ainda aceitam amor.

Foto by Déa

Foto by Dione(?)

Pelo caminho um engraçadinho que faz pose:

Foto by Déa
E uma engraçadinha que faz foto cheia de efeitos:
Foto by Déa


Pessoas trabalhando na terra:

Foto by Déa

Pessoas trabalhando para alimentar esses seres famintos de comida e amor

Foto by Déa

Foto by Déa

Foto by Déa


Encontramos a brava e saímos do seu caminho

Foto by Déa

Encontramos outro que adora uma frutinha


Foto by Déa


Encontramos a família com o filhote, esses são protegidos por todos e se respeita a hierarquia, come primeiro o mais velho.

Foto by Déa


Foto by Bruna.
Ao lado a reunião dos tratadores que tem o descanso perturbado pelos elefantes famintos e amigos, já acostumados com eles.
Foto by Bruna

Encontramos também alguém fazendo carinho
Foto by Déa

Encontramos um que gosta de tomar banho sozinho e sem ajuda (eu te entendo companheiro e como!)

Foto by Déa


Agora é a hora do nosso almoço, comemos todos juntos, uma comida vegetariana é claro, cheia de legumes, vegetais e amor.


Foto by Déa

Foto by Déa
Foto by Déa

Com essa vista de fundo:

Foto by Déa


Agora é a hora do banho, e a turma de cá tenta acertar o elefante e a turma de lá, que tenta se proteger, e assim é, vice e versa. Difícil entender quem dá banho e quem toma banho, mas a diversão é garantida.



Eu estou ali com meu baldinho, animadíssima.
Foto by Dione (?)
Sente o poder da água...e não sou só eu:

Foto by Dione (?)


Foto by Déa


Foto by Déa

Foto by Déa


Após a água é hora do banho de barro, é ele que protege a pele dos insetos e do sol forte, é tipo um repelente natural, quem se habilita?

Foto by Déa

Foto by Déa


Depois uma coçadinha em cada parte que incomoda. Primeiro o "forevis":


Foto by Déa
Depois a "trombis"
Foto by Déa

Mais uma passeio pela propriedade, a visita ao hospital, ao cemitério, ao que visivelmente foram machucados fisicamente, mas não emocionalmente e se entregam:

Foto by Déa


E os búfalos cortam nosso passeio e a gente espera eles desfilarem.

Foto by Déa

É hora do chá, gelado, da bolachinha deliciosa de arroz colorido, é hora de sentar e assimilar que não é um sonho, que estamos cercados realmente de elefantes, cachorros, gatos, búfalos e gente do bem, gente que tem amor de sobra, gente do mundo todo, que se doa. É hora de dar a última comidinha na boca, observar os cachorros tirando uma soneca.

Foto by Déa

Foto by Déa




Todas as fotos dos dogs são by Déa





Minhas dicas para esse passeio são:

Vá ao Elephant Nature Park e não vá em nenhum outro lugar que tenha passeio em cima do elefante. Os elefantes que permitem que você monte nele, foram mal tratados, torturados, separados de sua família, e domesticados para permitir isso.

Não nade com golfinhos, baleias, não mergulhe em aquário com crocodilo, não vá em circo com animais, se for possível não tenha passarinhos em gaiolas, tartarugas, cobras, e cachorros presos, não vá ver os Pandas (se bem que eles estavam em extinção e o acasalamento em cativeiro tenha sido necessário).

Mantenha seus gatos em seu território, por gentileza, não permite que seu animal invada o espaço de uma outra pessoa, ele está sob seus cuidados, cuide dele.

Não compre coisas de couro, marfim, peles.

Não vá em aquários gigantes, muitas especies de vegetações, algas, animais foram retiradas de seu habitat, simplesmente para que você possa observá-los.

Não compre produtos testados em animais.

Sei que é utopia querer que todos os animais estejam soltos vivendo em seu ambiente natural, nós humanos já bagunçamos muito esse planeta para que isso seja possível, não tem mais florestas, mares limpos, céu sem poluição, tem animais em extinção que precisam acasalar em cativeiros, tem tsunamis e abandonos, sei que lugares de proteção, infelizmente, sejam necessários, mas se não há outra forma, tente ao menos causar um pouco menos de dano, ok?

Ou seja, tente ser uma pessoa do bem e consciente.

Ainda como carne (mais carne branca, mas carne animal), sou contraditória e cometo meus pecados, mas minha mente e meu coração já estão ligados e á caminho de diversos jeitos melhores de conviver nesse planeta. Não sou perfeita, estou longe de ser, mas já estou começando a enxergar coisas que antes eu não via, abra seus olhos e seu coração você também.

Se sua escolha for visitar aqui, faça sua reserva com antecedência (Via Site deles - Custo do passeio com transporte, almoço, lanche, incluso - Baths 2500) (elephantnaturepark) infelizmente, existem poucos lugares como esse, com consciência, então, a procura, graças a Deus é grande e o espaço pequeno para tanta gente do bem.

Vá com roupas confortáveis, leve chinelo, passe protetor solar, repelente, óculos de sol, chapéu, leve uma roupa seca, nós não precisamos trocar, mas se seu amigo for melhor de mira do que os meus e o estrago for grande vai ser bom ter uma troca, e principalmente siga as regras do lugar.

Tem água (Baths 20) e outras coisinhas para venda, que ajudam a manter o lugar funcionando, como camisetas e lembrancinhas.

No mais aproveite cada segundo e tente se conectar com a natureza exótica e linda a sua volta.

E é hora de voltar ao hotel, tomar um banho, fechar os olhos e piscar várias vezes para ter certeza que não foi um sonho e que passamos um dia inteiro curtindo toda essa energia boa, alimentando e sendo alimentados de amor e carinho.

Agora é hora de nos alimentar com uma comidinha, espero que o camarão seja de cativeiro...rs. (Bahts 410)




O pessoal ficou em uma casa de massagem e eu fui sozinha conhecer o Night Bazar que não tive pique ontem.


Tomei esse sorvete psicodélico...rss... (Baths 80)



Cheio de amor, mas com asas para voar....rss



E voltamos para o hotel, com esse sorvete doce derretendo na minha mão e o vento do tuk-tuk (Baths 25 cada) melecando tudo. E amanhã tem mais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário