sábado, 10 de junho de 2017

12 Ko Phi Phi/Long Beach - Dia 10/05/2017 - E é nesse sobe e desce que a gente agradece a lição.

Dia 10/05/2017 – Quarta-feira.

Acordamos e nos arrumamos para descer para tomar café e já levamos nossas coisas, por que, subir e descer não é muito fácil por aqui. Olha a cara da Dione, provavelmente, por que, esquecemos alguma coisa...rs



Seguimos a trilha do nosso hotel até Long Beach, mas é preciso dizer que tem Táxi Boat para todos os lugares e inclusive tinha um ponto...rs...do lado do nosso hotel.
Nunca utilizamos o serviço, devido a boa localização do nosso hotel, mas se quiser evitar a “trilha” é só usar esse serviço.

Foto by Alguém?

A praia em frente ao nosso hotel não era muito charmosa, cheia de barcos ancorados, não tinha muito espaço para nos espalharmos...então...bora para trilha.


No caminho hotéis, casas, comércios (Água - 750 ml - Baths 30) e a praia linda que ia aparecendo entre ás árvores.

Todas as fotos acima by Déa.


A trilha tinha lugares fáceis e também mais complicados, mas graças a Buda, eu ainda dei para o gasto, embora eu tenha ficado para trás todos os dias, sempre com a companhia linda e querida da Vanusa e da Dione que me auxiliaram muito, segurando minha mochila, respeitando junto comigo meus limites e meu tempo.

Foto by Dione.

Foto by Déa.

Devo dizer que é um trilha sossegada, inclusive tinham vários casais de senhorezinhos por lá, e linda vamos combinar, vale o "pequeno" esforço.

Foto by Déa.

Eu tomo um cuidado maior, por conta da falta de equilíbrio que a falta das pontas do dedos me dá, então, preciso ir com calma, ter certeza que estou pisando correto, por isso, demorei mais do que as demais pessoas, mas o importante era chegar lá.

E eu sempre penso na graça que dou de Deus ter me permitido andar, pensar (a infecção e as medicações fortes que tomei poderiam ter causado danos nas extremidades, foi no pé, mas poderia ter sido no cérebro), comer (eu fiz uma traqueo que podia ter tido sequelas), respirar o ar puro e até o poluído (já fiquei completamente sem ar), agradeço sempre tantas coisas simples como andar, falar, pensar, tomar banho sozinha...rs...que parece bobagem para quem não passou por essas privações, mas que faz muito sentido para quem, como eu, teve que reaprender a fazer tudo, e alguns (como eu) com limitações. 

Infelizmente para algumas pessoas, fazer essa trilha não é mais possível nessa vida, apesar de fácil, e eu apesar de ir com "calma" ainda posso chegar lá, por meu próprio corpo e agradeço por isso.

Foto by Marta


Bom ao chegar lá, fui recepcionada por essas coisas fofas, por esse mar lindo, por essa paz e essa gratidão enorme que ás vezes explode no meu peito e escapa pelos meus olhos.

Foto by Marta

Passamos o dia por lá, nesse pedacinho de paraíso.

Ficamos em umas espreguiçadeiras de um hotel, que tinha serviço de bar, antes de sentar a Michele já foi lá, falou com os garçons, que falou para ela que podíamos ficar lá, desde que consumíssemos no local, além disso a linda ainda já arrumou 6 lugares lado-a-lado, é muita competência.

Meu almoço foi esse prato de camarão que estava delicioso, com esse molhinho tipo tártaro. 
Notem o capricho que vinham os pratos, aliás, todos os pratos, na Tailândia principalmente, eram assim. (Baths 200 + Drink baths 100)

Foto by Déa.


Curtimos a praia e descansamos até de tardezinha.

Foto by Déa.



Depois voltamos ao hotel, nos arrumamos e fomos até o centro jantar no Grand of Arcadian.

No caminho encontramos o Bruno e a Valéria, que nos acompanharam.
Valéria eu já conhecia, pois, temos uma amiga em comum em São José dos Campos e já tínhamos até almoçado juntas, na casa da nossa amiga, que aliás foi quem me apresentou a Dione, que foi quem me convidou para essa viagem...rs (mundo pequeno, é nada eu que roubo amigos...rs)

Bruno eu conheci em uma das reuniões que tivemos para a Gabi (Amiga e agende de viagem) nos entregar as reservas dos hotéis, passagem de ida e volta e seguro saúde que ela pesquisou e fechou para a gente, pois, as passagens internas que ela também nos ajudou a comprar, já estavam em nosso poder.

Fora o nosso grupo havia outros 3 grupos da escola de Yoga (que é uma rede), viajando pelos mesmos destinos e nos cruzamos em alguns pontos da viagem. Eu fiz parte de um grupo no Whatsapp com um representante de cada grupo (4), para troca-troca de dicas sobre a viagem.

Bruno ia colocar a Bruna do nosso grupo, mas ela achou melhor me colocar, por achar que eu estava mais bem informada, devido as minhas pesquisas, do que ela.

E curti fazer parte do grupo e espero ter dado boas dicas para o pessoal, eles com certeza me ajudaram muito. 

Pedi esse salmão com arroz e uma espécie de vinagrete. (Baths 380)

Foto by Déa.


De sobremesa, finalmente, o Sticky Rice que é uma espécie de arroz doce (deles, sempre deles...rs) com manga. Não curti muito, mas que o prato veio bonito veio.

Foto by Déa.

E depois uma foto nesse restaurante lindo, cheio de lanternas e flores penduradas.

Foto by Garçom celular da Marta


Demos uma volta pelo centrinho, consumimos, eu uma canga que precisava, e na volta aquela passadinha básica no mercadinho 24 horas (Baths 85), para comprar água e batatinha para o passeio de barco que faremos amanhã. 

Nós fechamos no nosso hotel mesmo, que tinha um balcão de passeios, um passeio de barco para algumas praias amanhã, mas você encontra opções de agentes de passeios em todo lugar, até com os barqueiros na praia.

O dia foi lindo, com sol, peixes, camarão, amigos, trilha, e emoções.

Se você não leu o post anterior, Clica aqui.

E para continuar essa viagem.Clica aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário